O final de Naruto?

Views:
45

Não sei mais direito ao certo há quanto tempo acompanho Naruto. Começou no final de uma férias de final de ano, em casa, sem ter o que fazer e com as aulas prestes a voltar. Navegando pela interwebs, achei um tal de “Naruto” e baixei o primeiro episódio do anime para assistir. E viciei. Foi toda a fase do Naruto criança assistida ao longo de uns 3 meses, incluindo ai os três anos de fillers. Fui firme e forte até o final. E ai começou o Shippuden. E eu acompanhei a primeira saga, do Naruto, Sakura e Sai enfrentando o Deidara e o Sasori (enquanto escrevo isso, percebo que ainda lembro de cabeça dessas coisas e estou espantado). E depois disso, desisti de acompanhar. Se não me falha a memória, isso tudo em 2006. Quase 10 anos atrás.

Em 2008, 2009 ou 2010, não me lembro ao certo, novamente sem ter o que fazer, peguei o manga logo na parte em que o Sasuke enfrentou finalmente seu irmão, e desde então mantenho a sagrada rotina (quase) semanal de ler o capítulo que sai. De 2008 pra cá, longos 7 anos passaram-se acompanhando uma saga que prometia sempre chegar ao ápice da epicidade (sei que tal palavra não existe, mas insisto em usá-la), mas que nunca chegou de fato. Kishimoto em algum momento perdeu a mão naquilo que estava fazendo. Não diria que todo, mas em um momento, uma parte do público começou a se cansar daquela enrolação que não dava em lugar nenhum.

end_of_naruto_fake_screenshot_by_i_azu-d5rzajb

A tão esperada Guerra começou e foram anos nela sem que nada realmente tão impactante acontecesse. Okay, um personagem morreu, foi triste, mas é algo que, hoje em dia, já não faz mais diferença. Não tem mais um peso. Justamente pela enrolação, pelo fato de seguirem uma série de capítulos em que nada acontecia, que aumentava a história, mas não mantinha um interesse tão forte assim a ponto de justificar tal opção. Fatos surgiram, constatações foram finalmente confirmadas, mas novamente, sem nenhum peso. Houve sim momentos bonitos e tocantes, como o Naruto conversando com o pai, o Neji, o Kakashi com o Obito. Não vou desmerecer essa jornada porque houveram sim relances de ideias boas, mas que nunca foram bem exploradas.

A Guerra começou empolgando, foi perdendo a graça e, no final, quando a luta mais interessante “meo deos o que vai acontecer, o que será que está acontecendo?” acabou de uma maneira pífia, de um modo tão bobo que eu realmente pensei que não poderia ser possível terminar daquele jeito. Mas foi exatamente assim.

Até a parte de você acabou de ler, eu tinha escrito no dia 1 de setembro, ou seja, mais de um mês atrás. E naquele momento, eu realmente já cogitava como Naruto ia acabar. Porque não havia muito mais pra onde ir dali. Mas o mundo ninja, meus amigos, é uma caixinha de surpresa. Okay, o final era eminente. Mas Kishimoto fez questão de mostrar o quão perto ele estava. Apenas CINCO capítulos (agora quatro) separam o Naruto de seu final derradeiro. Mas será que isso é o suficiente pra um manga que começou em 1999?

the_bloody_ending_of_naruto_by_milady666-d2zudmb

A resposta mais clara é um sonoro não. Porque há muitas pontas soltas, muitas coisas que, não necessariamente precisem de explicações, mas de um final. Toda a trama convergiu finalmente para o ponto em que Naruto e Sasuke se encontrariam, novamente, naquele mesmo local onde eles se enfrentaram quando crianças. Toda uma vida está presente nesse momento. Era essa a hora, se Kishimoto fosse esperto, de ter diminuído o ritmo e fazer os sentimentos dos personagens aflorarem, de mostrar o lado do Naruto, o lado do Sasuke, de mostrar ao leitor, que cresceu ou não com esses personagens, o quão importante e queridos eles são. Que fosse uma última batalha épica, digna do manga.Mas cinco capítulos reduzem consideravelmente as chances disso acontecer. Tudo pode ser corrido. Quando anunciaram os cinco, esperei pra ver o que aconteceria no seguinte ao anúncio e, bom, não teve nada demais. E os quatro que faltam?

The-Last-Naruto-the-Movie

Não importa mais especular o que vai acontecer. Sabemos que o “fim” é eminente. Ainda faltam 4 capítulos. E é isso que me surpreende um pouco. A tão abrupta notícia. Acredito que, se Naruto fosse realmente acabar, haveria um anuncio feito bem antes, preparar os fãs, preparar todo o terreno para, aí sim, terminar. Por isso não vejo que o final anunciado seja realmente um término. E sim um “até logo, galera. Daqui a pouco a gente volta mais velho com mais aventuras pra vocês”.

Uma nova saga, com Naruto já adulto, como um Hokage ou eremita? Não sabemos, só o tempo dirá. Duvido muito que vão encerrar a franquia pra sempre. Com a força que o nome possui, é questão de tempo até algo ser anunciado. Ainda tem um filme pra ser lançado, o “The Last”, que provavelmente passará após os eventos conclusivos do manga. E não duvido nada que anunciará uma nova saga, com os personagens mais velhos. Já até rola a especulação (o próprio trailer do vindouro filme fala que o filme conecta com a próxima geração, logo…)

 

Mas o final do manga como conhecemos é em novembro. Estejamos ou não preparados.

The Last Naruto the Movie

“Acabou”?

Author Artur Andrade

Acredito que entendo de cinema, as vezes. Por isso fiz faculdade de cinema e escrevo e faço vídeos sobre o que vejo, mas acho que prefiro mesmo é editar. E as vezes, pizza.

More posts by Artur Andrade

Join the discussion 3 Comments

  • Lucy disse:

    Vou ser sincera, eu não curti sua análise em qualquer instância, porque, na boa, não compreendeu que a essência da luta final foi o trabalho deles como time que era o primário a ser resolvido para intercalar com a trama NarutoXSasuke que foi colocada durante a trama toda (INTEIRA MESMO). Se isso foi uma resenha sobre o final, achei não somente fraca, mas também absolutamente rasa e sem qualquer conteúdo aparente.

    Na verdade, li duas pseudo-análises/resenhas (duas das últimas, essa e do Iluminado) daqui e nenhuma me pareceu realmente dizer alguma coisa. A do Iluminado critica as resenhas sobre o livro como se não tivessem o lido, porém só diz que os personagens são bons, a história é boa e o final ruim – desculpa, nem sequer justifica a impressão, o que é incomodo ao leitor que quer se aprofundar na questão crítica daquele que escreve a resenha, afinal, para dar a vontade de leitura precisa-se, antes de tudo, de transpassar conhecimento sobre a obra, simplesmente avaliá-la sem justificá-la passa tanta falta de credibilidade quanto as pseudo-resenhas lidas pela pessoa que escreveu. Isso é uma dica, de verdade.

    • Artur Andrade disse:

      Nenhum dos textos tem a menor vontade de ser uma crítica, uma resenha. Eles são simplesmente a opinião de cada um dos autores. Não há a menor vontade de escrever uma crítica, de seguir algum padrão para instigar o leitor a ler sobre o que está se falando. Principalmente a do Naturo, é só e somente o meu ponto de vista sobre o que eu achei sobre o final, não uma crítica mega embasada sobre toda a saga dele.

      Mas enfim, obrigado pelo comentário e pela dica, Lucy 🙂

    • Fernanda Belo disse:

      Oi Lucy!
      Eu que escrevi a crítica do Iluminado.
      Na verdade, não falo em nenhum momento de resenhas sobre esse livro, tente ler com mais atenção da próxima vez!
      Além disso, falo que o final do filme é ruim, não do livro.
      Acho que antes de criticar, você deveria ouvir os próprios conselhos e não fazer uma avaliação vazia sem justificar.
      Beijos de luz!

Leave a Reply